"TODA SOCIEDADE SE AFERRA A UM MITO E VIVE POR ÊLE. O NOSSO MITO É O DO CRESCIMENTO ECONÔMICO"- Tim Jackson

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

ANATOMIA DO ESTÔMAGO/VÍDEO AULAS UFF

PORTO SUL BAHIA

FERROVIA OESTE- LESTE

Reta final: o penúltimo programa de TV

Reta final: o penúltimo programa de TV

Lula, o comício do 2º turno em SP, ao vivo, de S. Bernardo

Lula, o comício do 2º turno em SP, ao vivo, de S. Bernardo

Dalmo Dallari reafirma: “Decisão de Gilmar Mendes prova que ele não tinha condições de ser ministro do STF”

Dalmo Dallari reafirma: “Decisão de Gilmar Mendes prova que ele não tinha condições de ser ministro do STF”

LEI 9.504/97-PERMISSÕES E PROIBIÇÕES.

1- VÉSPERA DA ELEIÇÃO (02 DE OUTUBRO):

CARREATAS, PASSEATAS, CARROS DE SOM E PANFLETOS:

Permite-se até às 22 horas do dia que antecede a eleição (02 de outubro), a distribuição de material gráfico (panfletos, santinhos), caminhada, carreata, passeata ou carro de som que transite pela cidade divulgando jingles ou mensagens de candidatos. ATENÇÃO: os microfones não podem ser usados para transformar o ato em comício (art. 10, § 6º da Res. 23.191/09).

2- DIA DA ELEIÇÃO

DOMINGO – 1º turno (03 de outubro) e 2º turno (31 de outubro)

É CRIME ELEITORAL: (art. 54, I, II e III da Res. 23.191/09)

  • o uso, no dia da eleição, de alto-falantes e amplificadores de som ou a promoção de comício ou carreata (Lei nº 9504/97, art. 39, § 5º, I);
  • a arregimentação de eleitor ou a propaganda de boca de urna (Lei n.º 11.300/06 e Lei nº 9504/97, art. 39, § 5º, II);
  • a divulgação de QUALQUER ESPÉCIE de propaganda de partidos políticos ou de seus candidatos (Lei nº 9504/97, art. 39, § 5º, III).
  • o uso de vestuário ou objeto que contenha qualquer propaganda de partido político, de coligação ou de candidato, por servidores da Justiça Eleitoral, mesários e escrutinadores, no recinto das seções eleitorais e juntas apuradoras (Lei 9.504/97, art. 39-A, § 2º).

MANIFESTAÇÃO SILENCIOSA E INDIVIDUAL:

Não caracteriza o crime eleitoral acima previsto a manifestação individual e silenciosa da preferência do cidadão por partido, coligação ou candidato, reveladaEXCLUSIVAMENTE no uso de bandeiras, broches ou dísticos e pela utilização de adesivos em veículos particulares, não se admitindo aglomerações de pessoas portando vestuário padronizado e os instrumentos de campanha acima enunciados, de modo a caracterizar manifestação coletiva, com ou sem utilização de veículos (Lei nº 9.504/97, art. 39-A, caput e art. 49, § 1º da Res.23.191/09).

Crachás e camisetas de fiscais: Aos fiscais partidários, nos trabalhos de votação, somente é permitido que de seus crachás constem o nome e a sigla do partido político ou coligação a que sirvam, vedada a padronização do vestuário, portanto, proibida a utilização de camisetas da mesma cor (art. 49, § 3º da Res. 23.191/09).

3- NÃO ESQUEÇAM:

PROIBIDA a confecção, utilização, distribuição por comitê, candidato, ou com a sua autorização, de camisetas, chaveiros, bonés, canetas, brindes, cestas básicas ou quaisquer outros bens ou materiais que possam proporcionar vantagem ao eleitor (art. 10, § 3º da Res. 23.191/09 e art. 39, § 6º da Lei n.º 9.504/97). Vale dizer, é proibida a confecção, distribuição e utilização de camisetas, durante toda a campanha eleitoral, compropaganda do nome ou número do candidato, bem como a confecção, distribuição e utilização de brindes com o nome ou número do candidato, ou seja, qualquer bem ou material que tenha algum valor e que possa proporcionar vantagem ao eleitor.

PROIBIDO o oferecimento de troféus, prêmios, ajudas de quaisquer espécies feitas por candidato, entre o registro e a eleição, a pessoas físicas ou jurídicas.

ALTO FALANTES NOS COMITÊS:

PODEM funcionar até a véspera das eleições (02 de outubro), das 08 às 22 horas, nas sedes e dependências, assim como em seus veículos ou à sua disposição, em território nacional, com observância da legislação comum, desde que estejam distantes, no mínimo, a 200 metros das Sedes dos Executivo e Legislativo da União, dos Estados, do Distrito Federal e respectivas Prefeituras Municipais; dos órgãos e Tribunais Judiciais; dos quartéis e outros estabelecimentos militares; dos hospitais e casas de saúde; das escolas, bibliotecas públicas, igrejas e teatros quando em funcionamento (art. 10, inciso II, § 1º e 2º da Res. 23.191/09).

CAVALETES:

Devem ser retirados das vias públicas até 22 horas da véspera das eleições. NO DIA DA ELEIÇÃO É CRIME ELEITORAL QUALQUER ESPÉCIE DE PROPAGANDA ELEITORAL. O eleitor que colocar cavalete de candidato NO DIA DA ELEIÇÃO, além de sujeitar o candidato à multa, poderá ser detido e responder por crime eleitoral.

NA IMPRENSA ESCRITA:

É permitida a divulgação paga, na imprensa escrita, até a antevéspera das eleições (01/10), de ATE 10 (dez) anúncios de propaganda eleitoral, por veículo, em datas diversas, de propaganda eleitoral no espaço máximo a ser utilizado por edição, para cada candidato, de 1/8 de página de jornal padrão e de ¼ de página de revista ou tablóide.

SITES NA INTERNET:

Os sites e blogs de PARTIDOS E CANDIDATOS NÃO PRECISAM SAIR DO AR antes das eleições. A Lei 12.034 aprovada em 2009 trouxe dispositivo específico, que foi reproduzido no artigo 82 da Resolução 23.191 (de Propaganda).

NÃO HÁ NECESSIDADE DE RETIRAR OS SITES DO AR.

ATENÇÃO PARA UMA RECOMENDAÇÃO IMPORTANTE: NO DIA DA ELEIÇÃO é crime eleitoral a DIVULGAÇÃO de qualquer espécie de propaganda de partidos ou candidatos. O site ou o blog não pode, portanto, ser alimentado com NOVAS propagandas. Recomendamos, assim, que NO DIA DA ELEIÇÃO não haja qualquer ATUALIZAÇÃOdos sites e blogs. Quaisquer modificações sobre PROPAGANDA devem ser efetuadas até a meia noite da véspera.

Lei 12.034/09:

Art. 7o Não se aplica a vedação constante do parágrafo único do art. 240 da Lei nº 4.737, de 15 de julho de 1965 – Código Eleitoral, à propaganda eleitoral veiculada gratuitamente na internet, no sítio eleitoral, blog, sítio interativo ou social, ou outros meios eletrônicos de comunicação do candidato, ou no sítio do partido ou coligação, nas formas previstas no art. 57-B da Lei no 9.504, de 30 de setembro de 1997.

Código Eleitoral:

Art. 240. A propaganda de candidatos a cargos eletivos somente é permitida após a respectiva escolha pela convenção. (Vide Lei nº 12.034, de 2009)

Parágrafo único. É vedada, desde quarenta e oito horas antes até vinte e quatro horas depois da eleição, qualquer propaganda política mediante radiodifusão, televisão, comícios ou reuniões públicas.

Lei 9504/97:

Art. 39-A. É permitida, no dia das eleições, a manifestação individual e silenciosa da preferência do eleitor por partido político, coligação ou candidato, revelada exclusivamente pelo uso de bandeiras, broches, dísticos e adesivos. (Incluído pela Lei nº 12.034, de 2009)

Art. 57-B. A propaganda eleitoral na internet poderá ser realizada nas seguintes formas:(Incluído pela Lei nº 12.034, de 2009) (Vide Lei nº 12.034, de 2009)

I – em sítio do candidato, com endereço eletrônico comunicado à Justiça Eleitoral e hospedado, direta ou indiretamente, em provedor de serviço de internet estabelecido no País; (Incluído pela Lei nº 12.034, de 2009)

II – em sítio do partido ou da coligação, com endereço eletrônico comunicado à Justiça Eleitoral e hospedado, direta ou indiretamente, em provedor de serviço de internet estabelecido no País; (Incluído pela Lei nº 12.034, de 2009)

III – por meio de mensagem eletrônica para endereços cadastrados gratuitamente pelo candidato, partido ou coligação; (Incluído pela Lei nº 12.034, de 2009)

IV – por meio de blogs, redes sociais, sítios de mensagens instantâneas e assemelhados, cujo conteúdo seja gerado ou editado por candidatos, partidos ou coligações ou de iniciativa de qualquer pessoa natural. (Incluído pela Lei nº 12.034, de 2009)

Art. 57-C. Na internet, é vedada a veiculação de qualquer tipo de propaganda eleitoral paga.(Incluído pela Lei nº 12.034, de 2009)

§ 1o É vedada, ainda que gratuitamente, a veiculação de propaganda eleitoral na internet, em sítios: (Incluído pela Lei nº 12.034, de 2009)

I – de pessoas jurídicas, com ou sem fins lucrativos; (Incluído pela Lei nº 12.034, de 2009)

II – oficiais ou hospedados por órgãos ou entidades da administração pública direta ou indireta da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios. (Incluído pela Lei nº 12.034, de 2009)

§ 2o A violação do disposto neste artigo sujeita o responsável pela divulgação da propaganda e, quando comprovado seu prévio conhecimento, o beneficiário à multa no valor de R$ 5.000,00 (cinco mil reais) a R$ 30.000,00 (trinta mil reais). (Incluído pela Lei nº 12.034, de 2009

Atenciosamente,

Assessoria Juridica DN/PT

Fonte: Blog do Favre

PARA VOTAR, LEVE UM DOCUMENTO OFICIAL QUE COMPROVE SUA IDENTIDADE


O Supremo Tribunal Federal (STF) derrubou nesta quarta-feira (29), três dias antes da eleição, a exigência d que o eleitor apresente, no momento do voto, o título de eleitor e um documento com foto. Por 8 votos a 2, os ministros entenderam que o cidadão será obrigado a levar apenas um documento oficial que comprove sua identidade.

A determinação de apresentar dois documentos na hora de votar foi fixada pela minirreforma eleitoral, aprovada pelo Congresso Nacional no ano passado. A norma foi questionada pelo PT em Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) no STF.

No julgamento, os ministros do Supremo não analisaram o mérito da constitucionalidade da norma; eles concederam medida cautelar para que a exigência passe a ser interpretada de acordo com a orientação do STF.

O julgamento começou nesta quarta-feira (29), mas foi suspenso por causa do pedido de vista do ministro Gilmar Mendes, quando o placar era de 7 a 0.

Antes de começar a votar na sessão desta quinta, Mendes citou reportagem do jornal “Folha de S.Paulo”, publicada nesta quinta, que diz que o candidato do PSDB à Presidência, José Serra, teria ligado para o ministro antes do julgamento. Ele negou que seu pedido de vista tenha tido motivações político-partidárias.

“Quem me conhece sabe muito bem que jamais me deixei pautar por interesses político-partidários. Estive no TSE por longo período e inclusive fixei uma orientação para que houvesse um critério na aplicação do difícil direito eleitoral muito propenso aos ‘ismos’ de toda a índole inclusive aos casuísmos”, afirmou.

Em seu voto, o ministro negou o pedido de liminar do PT para flexibilizar a exigência e afirmou que uma novidade normativa, a essa altura, pode ser um fator de “desestabilização do processo eleitoral”. Segundo Mendes, haveria ainda “noção de oportunidade política” na ação proposta pelo PT.

O ministro disse ter dúvidas sobre a inconstitucionalidade da lei e citou ainda o gasto de R$ 3,2 milhões do TSE com a campanha publicitária para as eleições deste ano, inclusive com propaganda para informar os eleitores sobre a necessidade de apresentar título de eleitor e documento oficial com foto na hora de votar.

“Todos os índicios levam a um estado de forte dúvida. Pode ser que tenhamos uma lei que apresente inconvenientes, mas que não é inconstitucional. Podemos falar de inconveniência, podemos falar dos atrapalhos que essa exigência ocasiona, não podemos falar em inconstitucionalidade. Se entrássemos nessa seara, estaríamos fazendo mau uso do nosso poder. Não temos o poder de legislar”, disse Mendes.

Julgamento
Votaram contra a exigência os ministros Gilmar Mendes e Cezar Peluso. Na quarta-feira, antes do pedido de vista de Gilmar Mendes, já haviam votado pela derruba da exigência os ministros Dias Toffoli, Cármen Lúcia, Ricardo Lewandowski, Joaquim Barbosa, Marco Aurélio e Ayres Britto, além da relatora do processo, Ellen Gracie.

Em seu voto, a relatora defendeu a exigência da apresentação de documento de identificação. “Estou convicta de que a norma jurídica contestada estabeleceu, na verdade, a obrigatoriedade de apresentação de um documento oficial de identificação com foto. A presença do título eleitoral, que é praxe, não é tão indispensável quanto a identificação por fotografia”, afirmou a ministra.

O presidente do TSE, ministro Ricardo Lewandowski, acompanhou o voto da relatora e sugeriu ampliar a proposta para permitir que o eleitor pudesse votar apenas com o título, caso fosse corretamente identificado pelo mesário no momento da votação.

Contestação
Em sua contestação sobre a obrigatoriedade de apresentação de dois documentos para votar, o PT alegava que a dupla identificação seria uma redundância porque, uma vez cadastrado pela Justiça Eleitoral, o cidadão já é eleitor e só precisaria comprovar a própria identidade.

No julgamento, a defesa do PT ainda classificou a norma como um excesso. Segundo os advogados da legenda, o pedido foi feito tão perto da data das eleições por causa da decisão do TSE de ampliar o prazo para retirada da segunda via do documento, interpretada como um indicativo da dificuldade para reimprimir o documento.

Um dos objetivos da adoção da regra era promover maior segurança na identificação do eleitor e evitar episódios em que pessoas votam por outras, valendo-se do fato de o título de eleitor não conter foto.

Os documentos oficiais previstos na norma para comprovação de identidade, segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), são carteira de identidade ou documento de valor legal equivalente (identidades funcionais), certificado de reservista, carteira de trabalho e carteira nacional de habilitação, com foto. Certidões de nascimento e de casamento não são aceitas.

Outras possibilidades, como a apresentação de cópias autenticadas de documentos, serão resolvidas caso a caso pelo mesário ou pelo juiz eleitoral.
G1
Rizzolo: Tumultuado esse julgamento, mas enfim o STF acabou julgando com o costumeiro bom senso. Essa exigência na verdade era absurda, e traria inúmeros problemas principalmente nas regiões mais distantes do país, como já comentei anteriormente.

Vergonha!!!

Vergonha!!!

DISPUTA ACIRRADA PARA O SENADO NA BAHIA

Disputa pelo Senado na Bahia ainda está indefinida, mostra Datafolha


A três dias das eleições, a disputa por duas vagas de senador pela Bahia está indefinida, mostra o Datafolha.

Segundo pesquisa realizada nos dias 28 e 29, persiste o empate técnico entre os três primeiros colocados.

Cesar Borges (PR) e Lídice da Mata (PSB) mantêm a liderança numérica, ambos com 34% cada um. Walter Pinheiro (PT) aparece logo atrás, com 30%.

Como a margem de erro da pesquisa é de três pontos percentuais, para mais ou para menos, não é possível afirmar quais estariam eleitos se as eleições fossem hoje.

Na semana passada, Borges tinha 29%, Lídice, 28%, e Pinheiro, 25%.

José Carlos Aleluia (DEM), o quarto colocado, está mais atrás, com 13%.

Se considerados apenas os votos válidos (brancos e nulos são excluídos, e a soma das intenções de voto dá 100%, não 200%), Borges e Lídice teriam 25% cada um, e Pinheiro teria 22%.

Foram ouvidos 1.198 eleitores de 49 municípios baianos, com margem de erro máxima de três pontos percentuais, para mais ou para menos.

A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral com o número 33.137/2010.

FOLHA.COM

WAGNER SERIA ELEITO NO 1°TURNO

Datafolha: Jaques Wagner seria eleito no 1ºturno na Bahia
Considerando os votos válidos, o candidato petista teria 57%, contra 21% de Paulo Souto (DEM)
30 de setembro de 2010 | 4h 1
Cido Coelho, do estadão.com.br
SÃO PAULO - O Datafolha divulgou na madrugada desta quinta-feira, 30, a pesquisa na disputa pelo governo da Bahia. Jaques Wagner (PT) segue na liderança e com o resultado, pode ser eleito no 1ºturno.

Os dados por votos válidos (em que brancos e nulos são excluídos) apontam que Wagner tem 57%, enquanto Paulo Souto (DEM) segue com 21% e Geddel Vieira Lima (PMDB) fica com 17%. No levantamento anterior, Wagner tinha 58%, Souto, 25% e Geddel, com 14%.

A pesquisa foi realizada em 49 municípios, com 1.198 eleitores ouvidos. A margem de erro do levantamento é de três pontos percentuais para cima ou para baixo. O registro da pesquisa no Tribunal Superior Eleitoral está sob o número 33137/2010.

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

"MALHADORA" DE 102 ANOS DÁ LIÇÃO A JOVENS SEDENTÁRIOS


Ida Wasserman

Ida Wasserman, de 102 anos, se exercita sete dias por semana

Um programa de televisão produzido pelo canal BBC3 levou quatro jovens britânicos sedentários aos Estados Unidos para viver com alguns dos aposentados mais saudáveis do mundo, entre eles Ida Wasserman, que aos 102 anos faz musculação todos os dias.

Ida é a estrela da comunidade para idosos Sun City, na Flórida, onde os aposentados fazem o que podem para limitar os efeitos da idade.

Ela se mudou para lá com quase cem anos, para morar perto da filha, então com mais de 70, que sugeriu que ela fizesse exercícios.

Com a malhação, ela deixou de usar bengala e passou a ser muito mais independente.

Inspiração

Por ter começado a malhar com uma idade tão avançada, Ida se tornou uma inspiração para outros aposentados e também para os jovens britânicos, que assistiram boquiabertos a uma de suas sessões de musculação.

“Vocês acham isso difícil?”, perguntou Ida rindo após se exercitar na cadeira adutora.

“Eu acho muito fácil...”

Ida Wasserman

Os jovens britânicos acharam a rotina da idosa muito difícil

“Depois de ver isso, não tenho mais desculpas para não me exercitar”, disse Caroline Miller, uma britânica de 22 anos que conta que o único exercício que faz é caminhar até o carro.

Mais saudável que um aposentado?

O programa da BBC3 Are you fitter than a pensioner? (Você está mais em forma que um aposentado?) tem como objetivo mudar o estilo de vida de quatro jovens, que comem mal, fumam, bebem demais e não se exercitam.

Além de Caroline Miller, Kevin Jay, um rapaz de 21 anos viciado em frango frito, a fumante Jacqualine Oliver, de 18 anos, e o amante de pizzas Sean Ryan, de 21 anos, passaram uma semana em Sun City, comendo de forma saudável e se exercitando na companhia de aposentados.

No fim da semana, eles competem com quatro idosos malhadores em quatro esportes: natação, corrida, caiaque e ciclismo

FONTE: BBC

Jingle time completo

Jingle time completo

Programa Lídice 400 e Pinheiro 130 (27/09 - Noite)

Programa Lídice 400 e Pinheiro 130 (27/09 - Noite)

EXOPLANETAS-ESTAMOS SÓS?


Nova descoberta sugere que Via Láctea pode ter bilhões de planetas habitáveis
Gliese 581g tem tamanho, gravidade e temperatura compatíveis com a vida, dizem descobridores
Carlos Orsi - estadão.com.br
Astrônomos descobriram um planeta de tamanho próximo ao da Terra orbitando dentro da chamada "zona habitável" de uma estrela. Trata-se do segundo planeta encontrado na zona habitável de Gliese 581. Segundo os autores, a descoberta abre a possibilidade de haver dezenas de bilhões de mundos potencialmente habitáveis na galáxia

O artigo científico que descreve a descoberta

A zona habitável é definida como a distância da estrela onde a energia que atinge o planeta é suficiente para manter água em estado líquido, na superfície ou logo abaixo do solo.

O planeta é um de dois novos astros encontrados em órbita da estrela Gliese 581, a 20 anos-luz da Terra. Chamado Gliese 581g, o planeta tem um período orbital de 36,6 dias, uma massa que pode estar entre 3,1 vezes e 4,3 vezes a massa da Terra e um raio até 50% maior que o terrestre, diz, por meio de nota, um dos autores da descoberta, Paul Butler, da Pesquisa de Exoplanetas Lick-Carnegie. A gravidade na superfície deve ser de menos que o dobro da terrestre.

O planeta fica bem perto de sua estrela - a distância que o separa dela é apenas 14% da que separa a Terra do Sol -, mas como Gliese 581 é muito mais fraca que o Sol, tem uma zona habitável que começa e termina a uma distância muito menor de sua superfície.

Os autores da descoberta, descrita no Astrophysical Journal, especulam que o planeta pode ter uma face permanentemente voltada para sua estrela. Trata-se do mesmo fenômeno que ocorre na Lua, que apresenta sempre o mesmo lado para a Terra. Se esse for o caso, Gliese 581g teria um lado extremamente quente e o outro, completamente congelado, com uma faixa potencialmente habitável na linha que separa os hemisférios quente e frio.

Gliese 581g não é o primeiro planeta encontrado dentro da zona habitável dessa estrela: outro mundo, Gliese 581d, descoberto em 2007, tem a maior parte de sua órbita dentro dessa região do espaço. No entanto, Gl 581d tem sete vezes a massa terrestre, o equivalente a metade da massa do planeta gigante Urano.

A despeito disso, no ano passado a revista australiana Cosmos coletou mensagens para serem enviadas ao espaço na direção desse planeta, na esperança de que seres vivos de lá, caso existam, sejam inteligentes e possam reconhecer o sinal da Terra.

A estrela também abriga um dos planetas extrassolares de menor massa, Gliese 581e, com 90% mais massa que a Terra. Mas Gl 581e fica muito perto do astro - a distância que o separa da estrela é de apenas 3% da que existe entre a Terra e o Sol.

Com os dois novos planetas encontrados, a estrela agora passa a ter seis mundos conhecidos. De acordo com a nota dos autores da descoberta, o sistema da estrela Gliese 581 sugere que a proporção de estrelas da Via Láctea com planetas potencialmente habitáveis pode ser maior do que se pensava, chegando a algumas dezenas de 1%.

Pode parecer pouco, mas o total de estrelas da galáxia é estimado como algo entre 200 bilhões e 400 bilhões - se 20% delas tiverem pelo menos um planeta habitável, haveria de 40 bilhões a 80 bilhões de mundos onde a vida poderia florescer.

Até hoje, foram descobertos cerca de 490 planetas localizados fora do Sistema Solar

STF vai garantir o direito de voto para todos

STF vai garantir o direito de voto para todos

Serra, o “popular”

Serra, o “popular”

Desmascarando os e-mails falsos sobre Dilma e o governo Lula

Desmascarando os e-mails falsos sobre Dilma e o governo Lula

CNI/IBOPE APONTA VITÓRIA DE DILMA NO 1°TURNO


CNI/Ibope: Dilma aparece com 50% das intenções; Serra tem 27% e Marina 13%

  • Carol Pires, do estadão.com.br

    BRASÍLIA – A presidenciável do PT, Dilma Rousseff, venceria a eleição no primeiro turno, segundo pesquisa CNI/Ibope divulgada nesta quarta-feira, 29, com 50% das intenções de voto, contra 27% de José Serra (PSDB) e 13% de Marina Silva (PV). Outros 8% não sabem ou votarão em branco.

    Em relação à última pesquisa CNI/Ibope, de junho de 2010, o crescimento de Dilma alto, passou de 38% para 50%. José Serra caiu, desde o último levantamento, de 32% para 27%. Marina Silva quase dobrou o número de indicações, de7% para 13%.

    Na simulação de segundo turno entre a petista e o tucano, Dilma venceria a eleição com 55% dos votos, contra 32% de Serra. Em junho, Dilma tinha 45% e Serra 38%. Na hipótese de uma disputa entre Dilma e Marina Silva, Dilma teria 56% dos votos, contra 29% da verde. Em um eventual segundo turno entre Serra e Marina, o tucano venceria a eleição com 43%, contra 35% da candidata verde.

    Na pesquisa espontânea, quando o eleitor responde em quem votará sem ter acesso a lista dos candidatos, Dilma lidera as intenções de voto com 44% das indicações; Serra tem 21%, Marina 10% e o presidente Lula, que não poderia se candidatar, ainda é apontado por 1% do eleitorado. Os demais candidatos apontados somam 1%

    • Share/Bookmark
    CNT/Sensus mostra crescimento de Marina no Norte, Nordeste e Centro-Oeste

    29 de setembro de 2010 às 13:23
    Índice Texto Anterior | Próximo Texto
    Gabriela Guerreiro
    De Brasília

    Pesquisa CNT/Sensus divulgada nesta quarta-feira mostra crescimento da candidata Marina Silva (PV) nas regiões Norte, Centro-Oeste e Nordeste no país.

    Segundo o levantamento, o maior crescimento da "onda verde" foi registrado nas regiões Norte e Centro-Oeste, onde a candidata do PV recebeu 17,7% das intenções de votos, contra 23,8% para Serra e 40,9% para a candidata do PT, Dilma Rousseff.

    Dilma continua líder em todas as regiões do país, mas teve queda de 47,6% para 40,9% no Norte e Centro-Oeste em relação à última edição da CNT/Sensus, divulgada no dia 14 de setembro. Nas duas regiões, Serra também caiu de 33,3% para 23,8% --enquanto Marina cresceu de 10,8% para 17,7%.

    O presidente da CNT (Confederação Nacional dos Transportes), Clésio Andrade, atribui o crescimento da candidata verde aos recentes escândalos de corrupção na Casa Civil. "Houve denúncia de um lado, contra a Dilma, e ataque de outro, feito pelo Serra. E a Marina ficou livre de tudo isso."

    Marina também dobrou de votos no Nordeste, onde cresceu 4,5%, para 10,5%. Dilma teve queda de 69,2% para 62% na região onde ainda assim permanece líder absoluta. No Nordeste, Serra registrou 17% dos votos, contra 17,2% na edição anterior da CNT/Sensus.

    Nas regiões Sul e Sudeste, o cenário permaneceu estável. Dilma lidera no Sudeste com 44,8% dos votos, seguida por Serra, com 27,2% e Marina, com 10,9%.

    A pesquisa mostra liderança de Serra somente na região Sul, onde alcançou 39,4% dos votos nesta edição da pesquisa. Ele é seguido por Dilma, com 34,3% dos votos na região, e Marina aparece em terceiro, com 9,3%.

    A pesquisa CNT/Sensus foi realizada entre os dias 26 e 28 de setembro, com 2.000 pessoas em 136 municípios. A pesquisa foi registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob o número 33.103/2010.

    DOCUMENTO

    Segundo a pesquisa, a maioria dos eleitores brasileiros está informada sobre a necessidade de levar título de eleitor e documento com foto no próximo domingo, no momento da votação.

    O levantamento mostra que 81,2% dos eleitores sabem que os dois documentos serão exigidos, enquanto 4,5% acham que somente o título é necessário. Outros 11,1% responderam que só um documento com foto será cobrado na votação.

    Segundo a pesquisa, 91,2% dos eleitores vão comparecer às urnas para votar, enquanto 2,5% não pretendem exercer esse direito. Outros 5,5% responderam que ainda não sabem se vão votar.

    A CNT/Sensus também mostra que 70,7% dos eleitores já definiram seu voto para presidente da República. Outros 24,6% ainda estão indecisos e 4,7% não responderam.

    A pesquisa mostra que 69,8% dos eleitores assistiram pelo menos em parte à propaganda eleitoral gratuita dos candidatos no rádio e TV. Apenas 13,2% da população não teve conhecimento dos programas veiculados no horário eleitoral.
    (Folha Online)

    Jornal francês Liberation dedica suplemento especial ao Brasil

    Jornal francês Liberation dedica suplemento especial ao Brasil

    Marcos Coimbra: “Para ter segundo turno, Dilma teria de perder 8 milhões de votos em seis dias”

    Marcos Coimbra: “Para ter segundo turno, Dilma teria de perder 8 milhões de votos em seis dias”

    Pastor Silas Malafaia, não vota mais em MARINA SILVA

    Pastor Silas Malafaia, não vota mais em MARINA SILVA

    MAIS PESQUISA IBOPE PARA DESESPERO DOS TUCANOS

    MAIS PESQUISA IBOPE PARA DESESPERO DOS TUCANOS

    terça-feira, 28 de setembro de 2010

    MARINA quer ganhar plantando MENTIRAS contra DILMA

    MARINA quer ganhar plantando MENTIRAS contra DILMA

    BLOG DO EMIR SADER

    O jogo da direita

    A direita desistiu de ganhar. Se rendeu à imensa maioria nova que se constituiu no Brasil a partir do governo Lula e de suas conseqüências sociais. Já despejou sua decepção e sua raiva no seu candidato, incapaz de manter uma dianteira que eles mesmos nunca souberam explicar, mas que os acalentava de ter o candidato mais viável. Se rendeu a direita a um candidato que não era o da sua preferência, mas o mais viável para voltar ao governo. Sofreu com a crise de identidade dessa Viúva Porcina, que foi sem nunca ter sido – foi um bom economista, sem nunca ter sido; foi grande governante, sem nunca ter sido; tinha uma trajetória exemplar como político, sem nunca ter tido.

    Pelos editoriais, a linha da direita é tudo, menos o Lula, tudo contra a Dilma, candidata da continuidade do governo Lula. A preocupação das ultimas semanas é diminuir o poder do próximo governo. A FSP fala na necessidade de limitar o poder (dos outros, nunca o deles). O Globo se preocupa com a maioria no Congresso (como se o Lula não tivesse, até mesmo para buscar um terceiro mandato, não fosse democrático, ao contrario de FHC, que mudou a Constituição durante seu mandato, para ter dois).

    Agora, é buscar o segundo turno, como forma de demonstrar limitações no apoio ao Lula, mais semanas de embate e tentar demonstrar que seu denuncismo ainda tem poder de influencia. Sabem que o Serra é um cadáver político. Com tudo o que fizeram com ele (como diz o meu primo Zé Simão: se parece ao Atlético Mineiro, cada vez que aparece na televisão, perde 3 pontos), não conseguem alavancá-lo.

    Daí a operação Marina. Era a ministra mais criticada do governo, com suas picuinhas, que brecavam obras de infra estrutura, se tornou a queridinha da mídia, trogloditas de repente descobrem e se tornam ecologistas de ocasião. A soma dos dois, mais nanicos, mais dificuldades de gente do povão de votar para tantos candidatos (para presidente é a sexta votação) e a necessidade de levar documento com fotos, anima a oposição. Pelo menos para não levar uma goleada desmoralizante.

    Já têm como seguro Senado e Câmara com grande maioria governista, maior parte de governadores a favor do governo e eleição da Dilma, no primeiro ou segundo turno, como estabelecidos. O plano agora, para salvar os dedos é:

    - garantir São Paulo, Minas e o Paraná
    - conseguir chegar ao segundo turno
    - tentar diminuir a maioria governista no Parlamento.

    Para esta ultima, a oposição busca evitar o mês de janela que se anuncia para logo depois da eleição, que sangraria mais ainda os já combalidos partidos da oposição. DEM e PPS com riscos de desaparição, PSDB tornando-se um partido médio na representação parlamentar.

    Conta, para a operação final, com o monopólio privado da mídia, seu elemento forte, aquele em que são claramente majoritários. A operação Data Folha era previsível. Pode ser que mantenham uma diferença baixa ou que, para tentar segurar um pouco que seja de credibilidade, voltem a aumentá-la, depois que esse DF tenha os efeitos possíveis. O Globo, a FSP, o Estadão e a Veja, se jogam com tudo, sem pensar nas conseqüências pós-eleitorais, com uma derrota que demonstra como perderam totalmente a capacidade de influência. Tentam agora sobreviver a todo custo, contra ventos e tempestades, depois que seu candidato naufragou espetacularmente.

    Postado por Emir Sader às 11:00

    José Serra não vence em nenhuma região
    Publicado em 28-Set-2010
    José Serra
    O Datafolha de hoje leva a algumas conclusões elementares, dentre as quais, a principal é que o candidato da oposição a presidente da República, José Serra (PSDB-DEM-PPS) não vence em nenhuma região do país e permanece estacionado desde a última pesquisa.

    Outro dado que salta à vista é que em um eventual 2º turno, Dilma Rousseff (governo-PT-partidos aliados) o venceria fácil, com 52% contra 39% do tucano. Por este Datafolha, Dilma tem 51% dos votos válidos; José Serra apenas oscilou 1 ponto - de 31% para 32%; e a candidata do PV, Marina Silva está longe de ambos e de um 2º turno, tendo oscilado de 14% para 16%.

    Nas regiões Centro-Oeste/Norte, Dilma lidera com folgados 44%, contra 31% de José Serra e 17% de Marina. No Sul, Dilma aparece em 1º lugar, com 39% dos votos, fora da margem de erro técnico de empate com José Serra, que tem 35%. Marina tem aí 10%. Na região Sudeste, Dilma está disparada na frente de Serra: 41 x 31. Aí Marina amarga 10%. Dilma está vencendo simplesmente nos quatro Estados que compõem a região: São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo.

    Desta forma, Dilma vence em todas as regiões do país. No Nordeste tem 59% contra 19% de José Serra e 11% de Marina, o que representa nada mais, nada menos que 20 milhões de votos de frente. Resumo da história: Dilma vence em todas as regiões e faixas; Serra é o mais rejeitado e está empacado; Marina é a 3ª, longe dos dois e de um 2º turno e, também, está estacionada.
    Blog do Zé



    Estudo indica que combinação de Viagra com doxorrubicina diminui tumor na próstata e protege contra danos ao coração provocados pelo medicamento usado em quimioterapia (divulgação)



    1. Agência FAPESP – Uma pesquisa feita na Virginia Commonwealth University (VCU), nos Estados Unidos, mostrou que a combinação da doxorrubicina, uma poderosa droga anticâncer, com o citrato de sildenafil (comercializado como Viagra), aumenta a eficácia do primeiro no combate contra tumores de próstata ao mesmo tempo em que protege contra eventuais danos ao coração.

    2. A doxorrubicina é usada há mais de 40 anos em quimioterapia para tratar diversos tipos de câncer. Mas, apesar da eficácia clínica da droga, seu uso está associado com danos ao coração, que muitas vezes são manifestados mesmo anos após o fim do tratamento, apontam os autores do estudo.

    3. Por conta disso, diversos grupos de pesquisa têm buscado uma solução para proteger o sistema cardiovascular contra a toxicidade associada à doxorrubicina.

    4. Em artigo que será publicado esta semana no site e em breve na edição on-line da revista Proceedings of the National Academy of Sciences, Rakesh Kukreja, diretor científico do Pauley Heart Center da VCU, e colegas descrevem o sildenafil como alternativa potencial para o problema.

    5. Os cientistas realizaram uma ampla variedade de experimentos in vitro e in vivo (com camundongos) e verificaram que a combinação das duas drogas aumentou significativamente a geração de oxigênio reativo que dispara a apoptose (morte célular) em células de tumores de próstata.

    6. Também observaram que a mistura não atingiu células epiteliais normais e saudáveis no órgão. “Acreditamos que o sildenafil pode ser um candidato excelente para protocolos de tratamento de câncer, com o potencial de aumentar a eficácia antitumoral ao mesmo tempo em que protege o coração contra danos de curto e de longo prazo promovidos pela doxorrubicina”, disse Kukreja.

    7. Após o sucesso com experimentos com animais, o grupo pretende iniciar em breve testes clínicos da combinação, para verificar a eficácia em humanos com câncer.

    8. O artigo Sildenafil increases chemotherapeutic efficacy of doxorubicin in prostate cancer and ameliorates cardiac dysfunction (doi: 10.1073/pnas.1006965107), de Rakesh C. Kukreja e outros, pode ser lido por assinantes da PNAS em www.pnas.org/cgi/doi/10.1073/pnas.1006965107

    O LADO SOMBRIO DA FORÇA.

    Desespero por 2º turno faz IG dar pesquisa com "109%" de entrevistados

    Diz a notícia postada no Portal IG: “Pesquisa Datafolha divulgada na madrugada de hoje aponta que a candidata à Presidência da República, Dilma Rousseff (PT), não tem mais a garantia de vitória no primeiro turno". Confiram o gráfico e concluam
    A ânsia de alguns veículos é tamanha de forjar um segundo turno na eleição à Presidência da República que a Pesquisa Datafolha divulgada na madrugada de hoje pelo Portal IG mostra um gráfico, excluindo o percentual da preferência de votos dos entrevistados. Poderíamos considerar como uma mera salada? Talvez. Não fosse a campanha acirrada que alguns veículos da “velha imprensa” têm alimentado para confundir o eleitorado.

    Diz a notícia veiculada, às 3h34 desta terça-feira (28), da Agência Estado, pelo Portal IG: “Pesquisa Datafolha divulgada na madrugada de hoje aponta que a candidata à Presidência da República, Dilma Rousseff (PT), não tem mais a garantia de vitória no primeiro turno. Para vencer as eleições já na primeira fase, é necessário ter 50% mais um voto”.

    Mais adiante, a notícia aponta que “Dilma perdeu três pontos porcentuais entre os votos válidos que decidirão as eleições. A petista foi de 54% para 51%. Considerando a margem de erro da pesquisa, de dois pontos porcentuais para cima ou para baixo, Dilma pode ter 49% ou 53% dos votos válidos. O candidato José Serra (PSDB) cresceu apenas um ponto - subindo de 31% para 32%. Marina Silva (PV) ganhou dois pontos e passou de 14% para 16% das intenções de votos válidos. Os resultados da pesquisa estimulada apontam Dilma com 46% das intenções de voto; Serra tem 28%, contra 14% de Marina. Votos brancos, nulos e eleitores que não votarão em nenhum candidato somam 3%. O número de indecisos é de 7%. Os outros candidatos não alcançaram 1%”.

    Agora comparem com o gráfico publicado (acima) para ilustrar a informação e perceberam o jogo de erros, há cinco dias da eleição!

    Ainda bem que no Brasil cresce a percepção dos eleitores, que também são leitores críticos à “velha imprensa”. Foi um leitor que nos alertou para o erro publicado até esse momento no Portal IG. Indignado com a informação lida, ele foi direto ao assunto: se você somar as porcentagens de votos dos entrevistados pelo Datafolha verá que dá 109%. “Cada entrevistado votou mais de uma vez?”, indagou o engenheiro.

    Fui verificar in loco (http://is.gd/fxRKp) e o eleitor/leitor tinha razão.

    Independente de ter suprimido informações ou acrescentado, o que observamos é uma guerra de informações truncadas, factoides e barrigadas. Antigamente, havia uma propaganda bastante difundida que mostrava uma pessoa falando algum absurdo e uma voz recomendando “tá na hora de começar a ler o.....”. Não há mais dúvidas, é melhor substituir a ´velha imprensa´ pelas agências alternativas e blogs”, que têm compromisso com a democratização da informação e a busca pela verdade.
    By: PT SP

    GUERRA CAMBIAL

    São Paulo - As declarações do ministro da Fazenda, Guido Mantega, sobre o câmbio ecoaram na imprensa internacional. Tanto o Financial Times quanto o The Wall Sreet Journal trazem nesta terça-feira reportagens sobre a "guerra cambial" entre países.

    "Todos já estavam pensando nisto, mas Guido Mantega, o ministro brasileiro da Fazenda, foi um dos poucos políticos a admitirem isso publicamente", diz a reportagem do Financial Times.

    "Sua afirmação de que há uma guerra acontecendo segue a recente escalada da intervenção competitiva nos mercados de câmbio, com armas pesadas e graves se chocando", continua o texto.

    Na última segunda-feira, Mantega disse que o mundo vive atualmente uma "guerra cambial" que ameaça a competitividade brasileira no comércio internacional. Ele também afirmou que o Brasil tinha armas para usar nessa guerra.

    Em sua reportagem, o Wall Street Journal salienta que as declarações do ministro Guido Mantega se dão por conta de uma forte apreciação do real frente ao dólar nos últimos anos, o que tornou a questão cambial uma das principais preocupações do governo.

    "Há uma abundância de razões internas para a moeda ter se valorizado, incluindo uma economia em expansão, altas taxas de juros e uma recente onda de títulos de empresas brasileiras e emissões de ações", diz o texto, que lembra ainda os 67 bilhões de dólares levantados pela Petrobras durante seu processo de capitalização na semana passada.

    O Financial Times traz ainda uma breve análise para o cenário global. "Esse cenário otimista ignora a confusão que pode surgir quando todos os países intervêm contra a sua própria moeda nos mercados cambiais, transmitindo um espírito de competição, em vez de cooperação", diz o texto.

    Exame.com/ECONOMIA/BRASIL.


    RUSSOMANO. O GOVERNADOR DAS RUAS, APOIA DILMA


    Na reta final, mais apoio à candidatura de Dilma
    27.09.2010
    O candidato ao governo de São Paulo pelo PP, Celso Russomano, anunciou hoje, após o comício no Sambódromo, que apoia a candidatura de Dilma Rousseff para a Presidência de República. O Partido Progressista já estava com Dilma, mas não formalmente. Russomano era um dos poucos candidatos da sigla que ainda não haviam declarado apoio à coligação Para o Brasil Seguir Mudando.

    “Eu estou aqui para declarar o meu apoio à Dilma, minha candidata à Presidência da República. Faço esse apoio hoje porque acho importante que nós vamos às urnas definidos em quem vamos votar para presidente", disse ele. "Entendo que o programa da Dilma é o melhor, o governo tem feito um bom trabalho ao longo desses anos. Entendo que o melhor para o Brasil hoje é a eleição da Dilma.”

    Ele fez o anúncio ao lado de Dilma e do candidato a vice Michel Temer. “Recebo o apoio do Celso Russomano com muita satisfação. Fico muito feliz com esse apoio. Acredito que nós podemos fazer muitas coisas juntos e acho que aqui em São Paulo as coisas vão se decidir no dia 3 de outubro e daí a gente avalia como as forças vão se agrupar para decidir o segundo turno”, comentou Dilma.

    Durante a entrevista coletiva, Dilma comentou o fato de ter aberto sua campanha com um comício sob forte chuva no Rio de Janeiro e, agora, fazer um dos últimos comícios da campanha sob chuva intensa em São Paulo. Ela ressaltou a força da militância, que não saiu do Sambódromo até o final do ato público.

    “Que força dessa militância estar aqui com uma chuva danada e ali firme segurando, alegre e com energia. Que força. Fiquei muito feliz hoje e por isso inclusive eu compartilhei com eles uma parte da chuva, como vocês podem ver pelos meus cabelos”, comentou.

    DATAFOLHA: Dilma 46%, Serra 28% e Marina 14%

    DATAFOLHA: Dilma 46%, Serra 28% e Marina 14%

    segunda-feira, 27 de setembro de 2010

    Quem ganhou o debate da Record?

    Quem ganhou o debate da Record?

    Dilma e Lula, ao vivo de São Paulo

    Dilma e Lula, ao vivo de São Paulo

    BLOG DO EMIR

    27/09/2010

    Um novo consenso nacional

    Daqui a alguns dias o Brasil decide se o governo Lula é um parêntesis e voltam as elites tradicionais ao governo ou se é uma ponte para dar continuidade e aprofundar a construção de uma sociedade justa, solidária e soberana.

    Tendo praticamente toda a imprensa contra a candidata que encarna a continuidade do governo Lula, o fenômeno mais impressionante desta campanha é como a Dilma conseguiu obter um apoio tão generalizado da massa da população – em todos os estados, em todos os estratos sociais, em todos os níveis de instrução, nos dois gêneros. Expressa a falta de sintonia da imprensa tradicional brasileira com os desejos e valores da massa da população.

    O governo Lula e a campanha da Dilma expressam, no apoio que recebem, um novo consenso, amplamente majoritário no país: que prioriza os direitos sociais, o papel ativo do Estado como indutor do desenvolvimento econômico e das políticas sociais, da soberania na política externa brasileira.

    Concluir seus dois mandatos com mais de 80% de apoio e 4% de rejeição (Fernando Henrique Cardoso, exatamente há 8 anos, em setembro de 2002, tinha 50,9% de rejeição), rejeitar a tentação de um novo mandato (FHC mudou a Constituição durante seu primeiro mandato, para ter um segundo), lançar uma candidata que representa, da maneira mais direta, seu governo, submeter-se ao voto popular e, provavelmente, obter uma vitória no primeiro turno, representam não apenas um sucesso pessoal do Lula.

    Representam o triunfo de valores que se contrapõem aos que reinaram na década de 90, reino neoliberal: os valores do mercado, de que tudo tem preço, tudo se vende, tudo se compra, tudo é mercadoria. Afirma-se hoje uma negação dessa visão de estilo shopping-center do mundo, calcada no “modo de vida norteamericano”, que privilegia o consumidor em detrimento do cidadão. Afirma-se hoje a esfera pública, a cidadania, o direito de acesso aos bens materiais e espirituais para todos e não apenas para a minoria para a qual se governava antes no Brasil.

    O provável resultado eleitoral da vitória da Dilma no primeiro turno representará também o fim de carreira de toda uma geração de políticos que passaram a representa a direita no Brasil, assumindo o neoliberalismo como modelo: menos Estado, mais mercado, privatizações, abertura sem limites da economia, precarização das relações de trabalho, subserviência às políticas dos EUA no plano internacional, Tratado de Livre Comércio com Washington.

    A provável convocatória a uma Assembléia Constituinte autônoma permitirá a reforma não apenas do sistema político, mas do próprio Estado brasileiro, que se tornou um Estado mínimo - abdicando de todas as funções econômicas para o mercado-, inadequado a um país que necessita crescer muito e reduzir as imensas desigualdades acumuladas ao longo dos séculos.

    Daí a importância das eleições do próximo domingo, que podem ser um marco na superação da situação do Brasil ser o país mais desigual da América Latina, que por sua vez é o continente mais desigual do mundo. Esse processo apenas começou, requer agora o aprofundamento e a extensão das políticas de redistribuição de renda para políticas habitacionais, de saneamento básico, de transporte, de educação, de saúde publica. Para que sejamos não apenas uma democracia política, mas também econômica, social e cultural.

    Porque se a distribuição de renda coloca a maioria da população no centro da pirâmide, isto não significa que passamos, em tão pouco tempo, a ser um país de classe média. Porque as condições mencionadas acima – habitação, saneamento básico, educação, saúde, transporte – continuam a ser muito ruins. É uma acumulação de miséria e de carências muito longa no tempo que para ser superada requer a continuidade, a extensão e o aprofundamento de políticas sociais amplas e articuladas por muito tempo.

    Para o que necessitamos um Estado muito distinto deste – ineficiente, financeirizado -, necessitamos um Estado centrado na esfera pública, na afirmação dos direitos, na cidadania extensa a todos. Um Estado capaz de promover o desenvolvimento estreitamente articulado com políticas sociais redistributivas. Que possa incluir mecanismos como os do orçamento participativo, que integra a cidadania nas decisões políticas fundamentais.

    Postado por Emir Sader às 04:25

    http://www.cartamaior.com.br/templates/postMostrar.cfm?blog_id=1&post_id=550

    Fonte:Blog do Saraiva

    A Ditabranda independente e apartidária?

    A Ditabranda independente e apartidária?

    Baixaria Verde: adeptos de MARINA semeiam boatos contra DILMA

    Baixaria Verde: adeptos de MARINA semeiam boatos contra DILMA

    Corpo a corpo: Dilma é seguida pelo povo, Serra desiste

    Corpo a corpo: Dilma é seguida pelo povo, Serra desiste

    MELHORES TRECHOS DE DILMA NO DEBATE DA RECORD



    Dilma no debate da TV Record

    Notícias

    Dilma: debate permitiu discussão de propostas
    A candidata demonstrou preparo, tranquilidade e firmeza ao defender os avanços conquistados pelo governo Lula


    Salário minímo terá mais avanços nos próximos anos

    Dilma afirmou, no debate da TV Record, que a valorização do mínimo vai permitir um piso superior a R$ 600 entre 2011 e 2014


    "Vivemos em pleno estado democrático"

    No debate da TV Record, a candidata Dilma Rousseff reforçou sua posição de defesa da liberdade de expressão e da democracia


    Cultura é fundamental para um projeto da nação
    Dilma visitou a feira de São Cristóvão, no Rio de Janeiro, e defendeu o maior acesso das pessoas aos bens culturais

    THE INDEPENDENT,JORNAL INGLÊS,APONTA DILMA COMO "A MULHER MAIS PODEROSA DO MUNDO"

    “O jornal The Independent destacou neste domingo que o Brasil se prepara para eleger no próximo final de semana a "mulher mais poderosa do mundo" e "uma líder extraordinária". As pesquisas mostram que ela construiu uma posição inexpugnável – de mais de 50%, comparado com menos de 30% - sobre o seu rival mais próximo, homem enfadonho de centro, chamado José Serra. Jornal também afirma que candidata tem sofrido ataques em uma campanha impiedosa de degradação patrocinada pela mídia brasileira.

    Hugh O'Shaughnessy, The Independent / Carta Maior

    A mulher mais poderosa do mundo começará a andar com as próprias pernas no próximo fim de semana. Forte e vigorosa aos 63 anos, essa ex-líder da resistência a uma ditadura militar (que a torturou) se prepara para conquistar o seu lugar como Presidente do Brasil.

    Como chefe de estado, a Presidente Dilma Rousseff irá se tornar mais poderosa que a Chanceler da Alemanha, Angela Merkel e que a Secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton: seu país enorme de 200 milhões de pessoas está comemorando seu novo tesouro petrolífero. A taxa de crescimento do Brasil, rivalizando com a China, é algo que a Europa e Washington podem apenas invejar.

    Sua ampla vitória prevista para a próxima eleição presidencial será comemorada com encantamento por milhões. Marca a demolição final do “estado de segurança nacional”, um arranjo que os governos conservadores, nos EUA e na Europa uma vez tomaram como seu melhor artifício para limitar a democracia e a reforma. Ele sustenta um status quo corrompido que mantém a imensa maioria na pobreza na América Latina, enquanto favorece seus amigos ricos.

    A senhora Rousseff, a filha de um imigrante búlgaro no Brasil e de sua esposa, professora primária, foi beneficiada por ser, de fato, a primeira ministra do imensamente popular Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ex-líder sindical. Mas com uma história de determinação e sucesso (que inclui ter se curado de um câncer linfático), essa companheira, mãe e avó será mulher por si mesma. As pesquisas mostram que ela construiu uma posição inexpugnável – de mais de 50%, comparado com menos de 30% - sobre o seu rival mais próximo, homem enfadonho de centro, chamado José Serra. Há pouca dúvida de que ela estará instalada no Palácio Presidencial Alvorada de Brasília, em janeiro.

    Assim como o Presidente Jose Mujica do Uruguai, vizinho do Brasil, a senhora Rousseff não se constrange com um passado numa guerrilha urbana, que incluiu o combate a generais e um tempo na cadeia como prisioneira política.”
    Tradução: Katarina Peixoto
    Artigo Completo, ::Aqui::